Doramei: The King, Eternal Monarch


Eu tinha esse post pronto na minha cabeça há dias, porém só consegui escrever agora, quase uma semana depois do episódio final, porque a mera lembrança desse dorama me deixa DOIDA. Esse é impacto que The King: Eternal Monarch sobre minha pessoa, e olha que dei play no primeiro episódio de forma tão despretensiosa.....

Hoje sou a maior PANFLETEIRA desse dorama. E a minha panfletagem de hoje começa agora.

Tudo começa numa fatídica noite de 1994, num mundo alternativo onde a Coreia é um reino unificado. Nessa noite, o rei da Coreia tava lá de boaça vendo a misteriosa flauta de nome impronunciável pra mim que sou uma mera estudante iniciante de coreano, quando o seu meio irmão bastardo aparece querendo a bendita. Dá uma merda federal, o rei morre, o príncipe de 8 anos vê tudo e tadinho, tenta fazer o que pode pra se defender e acaba partindo a flauta no meio. Ele quase morre, mas é salvo por uma pessoa misteriosa e a única pista que ficou pra trás é o crachá de uma mulher....emitido em 2019.

Vinte cinco anos depois o príncipe se tornou o rei Lee Gon (ouça meus gritos de amor ao fundo) da Coreia, lindo, perfeito e maravilhoso, porém até hoje PERTURBADO com o tal crachá e o seu salvador misterioso. Eis que um belo dia ele ouve o som de uma flauta, se embrenha no meio de uma floresta e OPA, APARECEU UM PORTAL??? OPA, DEIXA EU ENTRAR AQUI e assim o rei vem parar no nosso mundo.

E é claro que ele dá DE CARA com tal crachá e a sua dona, a tenente Jung Tae-Eul.

LINDOS DEMAIS
Olha, a partir daí é história, viu. Temos o nosso reizinho tentando se virar num mundo que não sabe que ele existe, temos a Tae-Eul sendo RIDÍCULA com ele (o primeiro encontro é SENSACIONAL kkkkkkk), temos a Espada Indestrutível Jo Yeong, chefe da Guarda Real, com a difícil missão de proteger um rei que só se mete em treta, enfim. Importante dizer que os dois mundos são versões alternativas um do outro, o que significa que existem versões alternativas dessa galera....imaginem se as pessoas começam a se topar? Esse é um dos plots da história. Também tem a questão da flauta, o objeto de desejo do traidor Lee Lim (lembra do meio irmão bastardo?), e como que o bendito crachá da Tae-eul foi parar em 1994??? São muitos mistérios e cada episódio é um eita atrás de eita, minha nossa.
   

Em FRANGALHOS ao lembrar disso aqui.....

Aliás, apesar de ter começado agora no mundo dos doramas, considero esse com o melhor piloto. O primeiro episódio já é incrível e te prende como nunca, além de ter a Tae-eul dando um chute de taekwondo maravilhoso (ELA É FAIXA PRETA. AGORA ENTENDE PORQUE AMO TANTO??). O dorama tem uma narrativa não muito linear, então muitas vezes você tá vendo algo que tá acontecendo paralelamente, ou antes, OU DEPOIS. É um exercício pra mente HAHAHAHA mas aos poucos a história vai se explicando e enlaçando cada ponta solta, de modo que no final tudo se assenta. Mas, acho que preciso ver tudo de novo pra pescar alguns detalhes que não peguei muito bem, até porque eu só sabia gritar pelo meu shipp. Sim, o shipp, minha gente. É PERFEITO!!!!! O rei de outro mundo e a detetive do nosso, COMO VÃO FICAR JUNTOS?????

DOR E SOFRIMENTO

Enfim, não sei mais o que dizer de forma coerente, então eu vou soltar algumas coisas: Reizinho Lee Gon sempre montado num CAVALO BRANCO (ai que brega delíciaaa), Eun-sup sendo o ridículo (me identifiquei bastante), Jo Yeong bissexual SIM (o rei também, ok), cenas MEMORÁVEIS (em nome de jesus, todos os resgates foram sensacionais) e uma trilha sonora de arrepiar todos os cabelos do corpo. 


Conclusão::: uma OBRA PRIMA do audiovisual!!! ASSISTA!!!!



Nota: 
FAVORITOOOOOOOOOOOOO




Ficha Técnica



Diretor: Baek Sang Hoon

Roteirista: Kim Eun Sook

Elenco: Lee Min-Ho, Kim Go Eun, Woo Do Hwan, Jung Eun-Chae

Lançamento: 2020

Status: Encerrado

Em catálogo na Netflix


Isabelle Fernandes

Mais conhecida como Bells, é psicóloga, pesquisadora e praticante de taekwondo nas horas vagas. É mãe de três gatos, trata os livros como se fossem relíquias e divide o tempo entre ler artigos científicos e mapas astrais

Doramei: The King, Eternal Monarch Doramei: The King, Eternal Monarch Reviewed by Isabelle Fernandes on junho 17, 2020 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.