"Medici: The Magnificent", a nova geração vs o status quo

Medici The Magnificent - Netflix and Rai

O drama de época "Medici: The Magnificent" expõem a eterna disputa entre a nova geração e o status quo.

Medici: The Magnificent é a segunda temporada do drama ítalo-britânico I Medici e se passa 20 anos após a primeira temporada que tem Cosimo de Medici como protagonista (você pode saber tudo sobre a primeira temporada aqui). Em Medici: The Magnificent Cossimo está morto e a liderança da família está aos cuidados de Piero (Julian Sands), seu filho, mas logo nos primeiros minutos já podemos perceber que esse fato será alterado em breve, pois essa temporada não se chama The Magnificent à toa, já que o termo remete a Lorenzo, o Magnífico, primogênito de Piero de Medici e Lucrezia Tornabuoni. Lorenzo era um magnata, diplomata, político e patrono de estudiosos, artistas e poetas. Ele é bem conhecido por sua contribuição ao mundo da arte, patrocinando artistas como Botticelli e Michelangelo. Sua vida contribuiu com a fase madura do Renascimento italiano, e sua morte coincidiu com o fim da Era de Ouro de Florença.

Medici The Magnificent - Francesco Pazzi e Lorenzo de Medici
Na Florença do século XV, a família Pazzi era rica e bem estabelecida, mas sua riqueza e status foram ofuscados pela família Medici. Embora os Pazzi fossem parentes dos Medici por casamento, os Pazzi e outros nobres florentinos achavam que a autoridade dos Medici havia se tornado perigosamente absoluta. (Imagem: Rai)

Por toda a sua contribuição Lorenzo é o Medici mais popular dentre uma família de estrelas. Lorenzo é o Paul McCartney se os Medici fossem os Beatles. Lorenzo é uma daquelas pessoas que consegue ser brilhante em tudo o que torna complicado gostar dele apesar de todo o carisma do ator inglês Daniel Sharman. Se parte da atração de Cosimo na primeira temporada eram suas imperfeições, com Lorenzo brilhante feito o sol somos levados a voltar os olhos aos diversos outros astros que giram ao seu redor.

A segunda temporada de I Medici está recheada de estrelas. Mesmo limando personalidades históricas - Lorenzo tinha três irmãs e não apenas Bianca (Aurora Ruffino) como é mostrado na série - a quantidade de gente é capaz de confundir até o fã mais safo de Game of Thrones. Além de Daniel Sharman o elenco que mistura atores italianos com britânicos conta com Sean Bean (Jacopo Pazzi), Sarah Parish (Lucrezia Tornabuoni), Alessandra Mastronardi (Lucrezia Donati), Bradley James (Giuliano de Medici), Sebastian de Souza (Sandro Botticelli), Synnove Karlsen (Clarice Orsini), Matteo Martari (Francesco de Pazzi) e Raul Bova (Papa Sisto IV). 

Medici The Magnificent - Clarice Orsini e Lorenzo de Medici
Clarice Orsini não era tão descolada quanto a série demonstra. Na verdade seu jeito introvertido, religioso e pouco culto à distanciou do marido extrovertido e educado por filósofos. Apesar da ausência de amor entre os dois, os historiadores reconhecem o respeito mútuo através da correspondência entre o casal. (Imagem: Rai)







Lorenzo The Magnificent custou em média três milhões de euros por episódio, o que garantiu filmagem na própria Toscana, maiores sequências de ação e várias cenas aéreas que demonstram a grandeza da cinematografia e cenário geral. Assim como na temporada anterior o figurino é um show a partir, apesar que tenho uma ressalva: a escolha de deixar os lindos cabelos soltos das atrizes principais em detrimento da utilização dos véus, tocas e outros acessórios de cabelo típicos da época foram um desserviço à narrativa. Colocar uma touca ou lenço ao longo dos episódios poderia auxiliar visualmente ao espectador na compreensão da passagem do tempo, pois uma década é apresentada durante os oito episódios, mas não é sentida, pois apesar dos casamentos e nascimentos visualmente todos os personagens continuavam com o mesmo look. É interessante observar que tal erro não aconteceu na primeira temporada de I Medici. 

Medici The Magnificent - Simonetta Vespucci e Giuliano de Medici
De acordo com a historiadora de arte Brenda Harness, o rosto de Simonetta Vespucci personificou o conceito renascentista italiano de beleza ideal. Isso foi importante para artistas como Botticelli, que pensavam que a beleza externa refletia a beleza ou a virtude interior (beleza espiritual). Simonetta morreu em 1476 aos 22 anos, mas Botticelli continuou a exibir sua imagem em sua arte pelo resto de sua vida. Todas as imagens de arte feminina de Botticelli eram retratos de Simonetta. Após sua morte, três décadas depois, Botticelli pediu para ser enterrado aos pés de Simonetta. (Imagem: Rai)


Outro erro foi cair no lugar comum do sexo e romance típicos dos dramas de época. A quantidade de cenas de sexo muitas vezes foram desnecessárias a narrativa. Se na primeira temporada torci por Cosimo e Contessina, já na segunda o triângulo amoroso entre Lorenzo, Clarice e Lucrezia Donati e o amor juvenil de Bianca e Guglielmo de Pazzi só geraram irritação. Já o romance entre Giuliano de Medici e Simonetta Vespucci (musa do pintor Botticelli) é muito mais interessante.

Interessante mesmo é observar que apesar de ser tão astuto quanto o avô Cosimo, Lorenzo quer fazer o bem fazendo o bem. Seu idealismo é o cerne que move a série, mostrando como um jovem que nasceu em privilégio e tinha todos os benefícios de uma educação renascentista era realmente muito esclarecido e determinado a usar seu considerável poder e influência para mudar o mundo para melhor. Ao mesmo tempo a série mostra que para mudar o mundo e o status quo o idealista ingênuo precisa “fazer o mal para fazer o bem”, como proclamava Cosimo de Medici, porque aqueles que estão no poder são reticentes a mudança. 

No geral Lorenzo The Magnificent é uma excelente temporada para I Medici, um drama histórico sobre o século XV, mas com temas contemporâneos que já garantiu sua terceira temporada que acompanhará os últimos anos da vida de Lorenzo. A próxima temporada foi intitulada The Beauty and Power.


Elilyan

Elilyan é uma leitora compulsiva que fala e pensa demais. No resto é super moderada. Escreve sobre livros, cinema, TV, música, sexo, arte, tecnologia e qualquer outra coisa que passe por sua mente insana. Para ler todos os textos da maluca bastar acessar a tag Elilyan Andrade. Se quiser fazer parte do hospício basta segui-la no Twitter e Instagram @elilyan.

"Medici: The Magnificent", a nova geração vs o status quo "Medici: The Magnificent", a nova geração vs o status quo Reviewed by Elilyan on outubro 12, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.