"Medici: Masters of Florence", um drama de época com mulheres empoderadas

Medici: Masters Of Florence

"Medici: Masters of Florence", faz da história uma trama emocionante ao destacar as mulheres empoderadas que formaram a dinastia da família mais importante da Itália.


I Medici é um drama de época ítalo-britânico que segue a ascensão ao poder da família Medici, membros da burguesia florentina que durante a maior parte do período de 1434 a 1737 governaram a Florença e, mais tarde, Toscana. Além do poderio político e financeiro (só para se ter uma ideia os Medici tiveram como membros da família quatro Papas, duas rainhas da França, três duques e sete grão-duques, duas arquiduquesas, nove consortes e governantes de ducados. Só citei os notáveis) os membros da dinastia Médici são reconhecidos mundialmente por sua contribuição à arte e arquitetura. De acordo, com a Enciclopédia Britannica eles foram os maiores patronos da arte no ocidente do início do século XIV até o dia de hoje. Na Itália os Medici são reverenciados como estrelas do rock, amados por uns, desprezados por outros, não à toa quando a primeira temporada de I Medici (Medici: Masters of Florence) estreou no país, teve sete milhões de telespectadores, quebrando os recordes da Rai e bombou nas redes sociais. 

Medici: Masters of Florence -  Fabio Lovino
Em "Medici: Masters of Florence" as mulheres são apresentadas como razoáveis, confiáveis ​​e fiéis, um feito incomum se observarmos outros dramas de época como The Tudors, Knightfall e Game of Thrones. Elas são valorizadas como grandes conselheiras sem denegrir em nenhum momento a inteligência dos personagens masculinos. (Imagem: Fabio Lovino/Rai)

Filmado na Itália, o show criado por Frank Spotnitz (Arquivo X, Man in the High Castle) e Nicholas Meyer (Time After Time, Star Trek) se concentra nas intrigas políticas e financeiras do primeiro grande patriarca dos Medici: Cosimo de Medici (Pater Patriae), interpretado pelo belíssimo ator escocês Richard Madden. O elenco também tem o ator norte-americano Dustin Hoffman (Giovanni di Bicci de' Medici), o escocês Stuart Martin (Lorenzo de Medici) e os italianos Guido Caprino (Marco Bello), Annabel Scholey (Contessina de' Bardi), Valentina Bellè (Lucrezia Tornabuoni) e outros nomes da dramaturgia europeia.

Como em todos os dramas do período, I Medici toma liberdades (às vezes grandes, às vezes pequenas) com os fatos históricos. Tal questão pode até desagradar algumas pessoas, mas se alguém quer saber a verdadeira história o ideal é ir ler uma enciclopédia e passar longe da série I Medici. De preferir focar em uma trama sem noção de assassinato e desaparecer com personalidades históricas em favor de um elenco mais enxuto, os criadores da série levaram alguns historiadores à arrancar os cabelos.

Contessina de Medici - Medici: Masters of Florence
Em "Medici: Masters of Florence" as mulheres são proativas, enfrentam situações difíceis por conta própria e #SPOILER: salvam os heróis montadas em um cavalo branco. Mais badass impossível! (Imagem: Rai)

Apesar das alterações para facilitar a narrativa I Medici é um thriller político de alto nível. Seus personagens são ricos. Existe um dualidade em todos que leva a um nível de tensão e instiga a emoção. É impossível amar e desprezar plenamente qualquer personagem, pois todos tem defeitos e virtudes que são plausíveis com seus atos. As decisões criativas dos roteiristas permitiram dar destaque para as personagens femininas, que muitas vezes são renegadas a obscuridade, tal qual ocorreu na vida real. As mulheres em I Medici são agentes ativos para o desenvolvimento da trama.

Há mais maneiras de uma mulher ser indispensável do que apenas ter filhos. - Contessina de' Bardi, em Medici: Masters of Florence

Outro ponto positivo em relação a representação feminina na série é que as mulheres em I Medici não são subestimadas. E nem deveriam ser, pois se você pesquisar um pouquinho descobrirá que Contessina de' Bardi e Lucrezia Tornabuoni foram nomes enormes que mereciam uma série centrada em seus feitos, tal como as séries britânicas The White Queen, The White Princess e The Spanish Princess fazem com algumas figuras históricas femininas britânicas. Lucrezia Tornabuoni, por exemplo, é reconhecida por ter sido uma escritora e conselheira política influente. De acordo, com o PhD em literatura renascentista italiana, Gerry Milligan: "Em Florença, uma cidade onde não havia uma corte principesca para fornecer títulos de autoridade às mulheres e numa época em que as mulheres eram frequentemente mantidas longe da esfera pública dos homens, Lucrezia Tornabuoni exerceu uma influência impressionante sobre a política e a cultura em torno dela". Ela era uma proprietária de terras de sucesso, comprando e arrendando propriedades, arrecadando aluguéis e reformando fontes termais para a criação de SPA. Seu marido a enviou em missões diplomáticas e após a morte do mesmo foi responsável pelo arranjo dos casamentos de seus filhos. Na área da caridade Lucrezia também brilhava, ela ajudou a fornecer dotes para mulheres pobres e tecidos para o hábito de freiras, além de manter diversas instituições de caridade em Florença. Para mais informações sobre Lucrezia Tornabuoni você pode conferir um ensaio do professor Gerry Milligan nas biografias online de Oxford; você pode acessá-lo clicando aqui.

Medici: Masters of Florence - Cosimo
Normalmente em dramas de época são as vestes femininas que chamam atenção, mas em "Medici: Masters of Florence" são os trajes de Richard Madden como Cosimo il Vecchio que roubam a cena. (Imagem: Rai)

Não apenas I Medici tem uma história envolvente, com personagens carismáticos, a série ainda se beneficia por ter um figurino belíssimo (como não amar as vestes de veludo de Cosimo?) e uma trilha sonora sublime. “Renaissance”, música de abertura criada por Paolo Buonvino e interpretada por Skin, vocalista do grupo Skunk Anansie, tem a magnitude digna da família mais poderosa de Florença. 

Mesmo que você não seja um grande fã de drama político ou drama de época I Medici poderá lhe surpreender positivamente, então recomendo dar uma chance a série. A série está disponível através da plataforma de streaming Globo Play.

Elilyan

Elilyan é uma leitora compulsiva que fala e pensa demais. No resto é super moderada. Escreve sobre livros, cinema, TV, música, sexo, arte, tecnologia e qualquer outra coisa que passe por sua mente insana. Para ler todos os textos da maluca bastar acessar a tag Elilyan Andrade. Se quiser fazer parte do hospício basta segui-la no Twitter e Instagram @elilyan.

"Medici: Masters of Florence", um drama de época com mulheres empoderadas "Medici: Masters of Florence", um drama de época com mulheres empoderadas Reviewed by Elilyan on setembro 24, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.