Navegando Por Aí: Insegurança Vende

THE ILLUSIONISTS documentary - Insecurity Sells (dir. Elena Rossini)


As mulheres perversas de Angelina Jolie, homens no balé, vaidade, insegurança, ideais de beleza, Descendentes, No Good Nick e mais

Elilyan: Minha namorada dos sonhos, Angelina Jolie, já começou a divulgação de Malévola: A Dona do Mal. A atriz e ativista dos direitos humanos ilustra a capa e recheio da edição de setembro da revista Elle. Mais do que fotos bonitas a atriz escreveu um artigo impactante sobre bruxas, maleficência e poder.  [Elle] Confira alguns trechos:

O que é sobre o poder de uma mulher livre de mente e corpo que foi percebida como tão perigosa ao longo da história? No passado, o mandamento do Antigo Testamento “Não permitirás que uma bruxa viva” foi tomado literalmente. Dezenas de milhares de pessoas foram executadas por maleficia, o alegado crime de más ações através da magia, desde a caça às bruxas na Europa até os julgamentos de Salem na América. A grande maioria destes eram mulheres.
Como a teoria da conspiração final, qualquer coisa que você não pudesse explicar - de uma safra falhando a uma criança que adoecesse - poderia ser atribuída à influência de uma mulher supostamente malvada. Estas eram muitas vezes viúvas destituídas, ganhando uma existência como curandeiras à margem da sociedade, ou mulheres mais jovens, cujos poderes sedutores podiam facilmente ser atribuídos à magia. As mulheres podem ser acusadas de bruxaria por terem uma vida sexual independente, por falarem sobre política ou religião, ou por se vestirem de maneira diferente. Se eu tivesse vivido em épocas anteriores, eu poderia ter sido queimado na fogueira muitas vezes por simplesmente ser eu mesmo.
'Mulheres malvadas' são apenas mulheres cansadas da injustiça e do abuso. As mulheres que se recusam a seguir regras e códigos que não acreditam são as melhores para si ou para suas famílias. Mulheres que não desistem de sua voz e direitos, mesmo correndo o risco de morte, prisão ou rejeição por parte de suas famílias e comunidades. Se isso é maldade, então o mundo precisa de mulheres mais más.
… É surpreendente a frequência com que as mulheres que concorrem a cargos políticos em países democráticos são descritas como bruxas. Reúna um grupo de mulheres fortes e, em pouco tempo, alguém as rotulará de “coven” - termo técnico, para ser claro, para um encontro de bruxas que se reúnem à noite para se relacionarem com o diabo. As mulheres que defendem os direitos humanos em muitos países ainda são rotuladas como “desviantes”, “mães ruins”, “difíceis” ou “soltas”.

Angelina Jolie por Alexi Lubomirski para Elle
Foto: Angelina Jolie por Alexi Lubomirski para Elle

Escrito e dirigido por Elena Rossini, “The Illusionists” é um documentário que examina padrões de beleza em todo o mundo para investigar como indústrias como a publicidade e a cirurgia estética nos bombardeiam com imagens que validam apenas um determinado tipo de beleza - imagens que ignoram a realidade e as diferenças culturais. Apresentando entrevistas com editores de revistas, sociólogos, cientistas e ativistas de todo o mundo, o filme pede que os espectadores questionem suas próprias concepções sobre o que significa “beleza”. A escritora-diretora Elena Rossini se inspirou para fazer o filme porque, "Em todo lugar, parecia haver uma obsessão pela juventude e beleza feminina, e por um tipo de corpo muito específico que excluía 99% da população feminina. E então comecei a me perguntar: quem lucra com isso?". Você pode assistir ao documentário online. Infelizmente não está disponível em português, nem possui legenda para o nosso idioma. [The Illusionists]


A dança é uma atividade praticada tanto por mulheres quanto por homens, mas nossa sociedade estigmatiza a presença e interesse dos homens pela dança, principalmente se o estilo escolhido for o balé. O interessante é que até os anos 1680, podemos dizer de certa forma que dançar balé profissionalmente era coisa de HOMEM, e que as mulheres não eram bem aceitas dançando em um palco. Mas desde a Era Romântica o preconceito afastou os meninos e homens do balé. Uma das sete belas artes tradicionais, o ballet é um estilo de dança marcado pela leveza, pela harmonia e pela postura ereta dos bailarinos. Balé não é para os fracos. O corpo de um bailarino é similar a de um atleta olímpico, pois as várias horas dedicadas a arte molda o corpo e o espírito. The Australian Ballet através de seu canal no YouTube procura educar o público sobre os homens no balé clássico. [YouTube - The Australian Ballet]


Jota: Apesar de eu amar Malhação, essa edição eu não venho acompanhando da maneira como queria, então qual a minha reação ao descobrir que uma pessoa vinha postando uma thread sobre o personagem Guga, que pra minha grata surpresa o ator também é LGBTQ? Pura alegria. [@MarkosOliveira]

Há cerca de um mês atrás eu descobri que autores haviam se juntado para dar ao mundo contos recheados de clichê com protagonismo LGBTQ, o que me fez surtar, marcar a data de lançamento e rezar para ter dinheiro até lá... infelizmente ainda me encontro sem dinheiro, mas ainda acho essencial divulgar. [Amazon]

Outro livro, dessa vez de um dos meus autores nacionais favoritos, Vitor Martins, lançou agora a pouco, é outro dos motivos dos meus recentes surtos de necessidade de consumismo, além de ser uma história com uma realidade super palpável, de personagens que você provavelmente conhece pessoalmente. [Amazon]

Graças a uma amiga, eu consegui acesso ao texto do Série Maníacos sobre como sitcoms (Andi Mack, No Good Nick, One Day at a Time, etc) abordam temas importantes como identidade de gênero, igualdade salarial em questão de gênero e etnia, câncer, entre outros e fazem - bem como atraem - as pessoas, e achei importante demais pra não adicionar ele nessa semana. [Série Maníacos]

Depois que assisti Descendentes 3 e surtei, achei duas das minhas 4 músicas favoritas nesse filme que fecha a trilogia nos canais oficiais da Disney:



Recentemente eu venho estando super apaixonado numa série da Netflix chamada No Good Nick que há pouco lançou sua segunda parte/temporada, e eu só fui ver porque uma amiga minha começou a assistir e me passou todos os spoilers, o que acabou despertando todos os meus interesses. É uma série sobre uma menina que engana uma família pra entrar nela e realizar sua vingança pela sua própria família, e eu sei, parece como qualquer filme de comédia de conhecimento popular, mas diferente de todos esses que possa cruzar sua mente, essa história, além de super leve e divertida de ser assistida, traz personagens LGBTQ com um desenvolvimento esplêndido (inclusive tem a participação de uma mulher trans que já fez papéis incríveis em Champions, também da Netflix, e Glee), feminismo, pinceladas de consciência global e um desenvolvimento de discussão muito interessante e singular sobre família, vingança, confiança e capacidade das pessoas. Se isso tudo não foi o suficiente pra te animar, saiba que quem interpreta o pai da família é o Sean Astin (Stranger Things, Os Goonies e O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel). Esperem texto meu sobre essa série, e dêem o hype que ela precisa pra ter uma parte 3, POR FAVOR! [Netflix - No Good Nick]

Imagem: Netflix

Pensando por aí

Um site sobre ciência, cultura pop, sociedade e qualquer outro pensamento que passar pela cabeça dos nossos vários autores independentes

Navegando Por Aí: Insegurança Vende Navegando Por Aí: Insegurança Vende Reviewed by Pensando por aí on agosto 11, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.