[Resenha] As Estrelas Sabem, de Fernanda Campos

Resenha do livro As Estrelas Sabem, de Fernanda Campos

Juliana tenta se manter uma romântica no plano ideal, enquanto, no mundo real, faz o que aprendeu com sua série-nerd-intergaláctica preferida: amor? Evite, se possível.


Já não lembro mais exatamente quando e como foi isso, só sei que conheci a Fernanda pelo twitter e simplesmente senti a necessidade de seguir ela por conta de uma combinação maravilhosa::: ela não apenas é escritora, como também é psicóloga!!! Desde então venho acompanhando a saga dela entre as duas carreiras e eis que um belo dia - que também não lembro como foi - lá estava eu com o As Estrelas Sabem pra ler e resenhar.

Isso vai fazer mais de um ano.

Corta pra julho de 2019, eu sem ler romances há um bom tempo - na verdade sem ler decentemente faz tempo, a única salvação sendo meu clube do livro - e lá estava o AES, abandonado. O momento havia chegado. E gente, como que eu esperei TANTO pra ler essa BELEZURA??? Mas ok, vamos por partes.

As Estrelas Sabem conta a história da Juliana, uma mineira do interior que é absolutamente apaixonada por livros, principalmente romances, é estudante de história e tem um melhor amiga completamente sem noção, que é totalmente o oposto da Juliana. Ela prefere mil vezes viver a vida pelo olhos dos seus personagens favoritos, enquanto a Vênus só sai por aí feito um furacão. Tudo corria normalmente até que Rafael, o boyzinho com quem ela mantinha uma amizade e amor platônico à distância, volta a morar em Ponte Belo e aí pronto::: a moça se desestabiliza de vez, porque agora precisa lidar com os seus sentimentos pessoalmente.

Eu amei tanto esse livro que ele bateu todos os critérios pra entrar na categoria Livros Arrebatadores: fui dormir tarde lendo; aproveitava cada intervalo de algo pra ler uns capítulos; me descobri apertadíssima pra ir no banheiro pois não parava de ler há horas; minha alimentação de algum modo sofreu impactos pois eu não parava de ler há horas. É uma história de dia a dia com personagens tão cativantes tanto na personalidade quanto na relação entre eles que você se apega de uma forma absurda. Simplesmente quero ser amiga daquele squad maravilhoso composto por Juliana, Vênus, Luana, Rafael, Pedro e Caio.

E tem o aspecto principal, o que me motivou primariamente a ler o livro::: a protagonista. Peguei nessa história sabendo que a Juliana é assexual, basicamente a primeira personagem ace na literatura brasileira (até onde eu sei). E devo dizer que a Fernanda escreveu essa menina de uma forma tão sensível, tão absurda de boa HAHAHAHA infelizmente ou não, me identifiquei horrores em praticamente todos os momentos. Obviamente que uma única personagem não vai abarcar todo um mundo de possibilidades no espectro assexual, mas essa representação mostrou que assexuais são perfeitamente capazes de se relacionar - inclusive fisicamente.

Essas passagens mostraram com PERFEIÇÃO (pelo menos pra mim) como é a experiência de um beijo, primeiro sem nenhum tipo de atração e depois com atração romântica e/ou física:

Minha mente dá voltas enquanto permaneço no mesmo lugar. A gente não devia fazer isso. Beijar é nojento. Eu não quero a boca de Luís na minha. Eu nunca vou aprender a gostar desse tipo de contato físico. Vênus vai me matar. Alguém precisa olhar para cima quando for limpar essa sala, porque aquela teia de aranha está enorme. Meu Deus, isso não vai acabar nunca?

Eu giro para encará-lo. O sol está se pondo atrás dele, o que faz seus cabelos castanhos ficarem quase loiros. As olheiras ficam mais profundas, mas, em contrapartida, consigo enxergar todos os pontos verdes perdidos nos seus olhos.
Ele está tão bonito.
Eu quero beijá-lo.

Além disso, o romance!!! Amo que apesar dos vários clichês românticos como valsar sem músicas receber presentes de um admirador secreto, uma possibilidade romântica meio babaquinha, cuidar do outro bêbado/doente e entre outros, é uma história completamente original. O tempo inteiro esses valores românticos são questionados e colocados à prova, incluindo a questão: o que define/diferencia um relacionamento amoroso de uma amizade? Seria só o sexo? E mais além:: a gente só pode contar mesmo com a nossa família ou os amigos são a família que escolhemos - e em muitos casos a única? O melhor de tudo é que apesar de tantos temas serem abordados, não fica uma bagunça, todos as pontas se amarram direitinho.

O único problema que eu poderia encontrar é a falta de um rótulo. A Juliana passa a história inteira vivendo, pensando e sentindo coisas que pessoas no espectro assexual vivenciam na maior parte das vezes, mas em nenhum momento isso é nomeado. Fez sentido na história já que nenhum personagem ali era engajado em alguma causa ou movimento social, mas ainda assim....o momento em que a gente descobre que existe um nome pro que a gente sente é um verdadeiro divisor de águas. Eu queria ter visto a Juliana viver isso. É libertador.

Mesmo esse detalhe não apaga os AMORES que vivi lendo essa história. Eu me apaixonei pelo Rafael, me senti 100% Juliana, quero ficar amiga de toda aquela galera e ainda por cima quero morar em Ponte Belo HAHAHAHAHA. Esse, meus amigos, é o poder de uma boa história bem contada: eles se tornam reais enquanto a gente lê, e continuam a ser mesmo depois que lemos a última página.




Ficha técnica



Autora: Fernanda Campos

Páginas: 384

Idioma: Português

Disponível em: Amazon

Você também pode acompanhar a Fernanda no Twitter e no Instagram!!




Comprando este livro pela nossa loja associada na Amazon, você estará ajudando o Pensando Por Aí a crescer cada vez mais. Para efetuar a compra, clique na capa do livro ou no link acima!



Isabelle Fernandes

Mais conhecida como Bells, é psicóloga, pesquisadora e praticante de taekwondo nas horas vagas. É mãe de três gatos, trata os livros como se fossem relíquias e divide o tempo entre ler artigos científicos e mapas astrais

[Resenha] As Estrelas Sabem, de Fernanda Campos [Resenha] As Estrelas Sabem, de Fernanda Campos Reviewed by Isabelle Fernandes on agosto 06, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.