Solidão: estamos sozinhos, mas não precisamos ficar



Solidão, uma palavra de sete letras com a habilidade de destruir qualquer ser humano ao simples pronunciar de seu som.

Infelizmente vivemos em uma sociedade que prioriza a importância de se ter companhia acima de tudo, e apesar de eu ter que concordar que é algo importante, é importante ter contato humano e social, ainda sim é bom fazer coisas sozinhos, ir à um cinema sozinho ver filmes, ir ao mercado comprar o que se precisa sozinho, entre outros.

Não que eu esteja falando que não tenho medo, eu tenho medo de ficar sozinho, de afastar as pessoas e de no fim, não ter ninguém. Só que não posso viver com isso bloqueando a minha vida, meu aprendizado. Porque viver é isso, é aprender, é reconhecer que você pode estar na merda, mas ainda tem esperança e ainda tem uma bendita visão positiva nisso que você tá vivendo. Não dá pra ser escravo da própria mente, das próprias incertezas do futuro.

E estar sozinho não deveria ser algo tão infernal assim para a gente. Ficar só consigo mesmo é tão assustador por qual razão? Porque se conhecer é assustador, e sozinhos, não há fuga disso, não é a toa que a gente está sempre procurando por algo para nos distrair, como tive a oportunidade de refletir novamente vendo um vídeo da Jout Jout.

E tudo bem também, só que é preciso se levantar e aprender a não só apreciar a própria companhia mas também a amar estar consigo mesmo,  assim como também aprender a viver no mundo, interagir, conhecer pessoas novas, aprender com erros e acertos. E estar sozinho não é uma sentença de infelicidade pro resto da vida porque você não precisa de alguém pra ser feliz, você precisa se amar pra isso.

Porque como disse August Cury: "Para os sábios, a brevidade da vida convida-os a valorizá-la como um diamante de inestimável valor. Ser sábio não significa ser perfeito, não falhar, não chorar e não ter momentos de fragilidade. Ser sábio é aprender a usar cada dor como uma oportunidade para aprender lições, cada erro como uma ocasião para corrigir caminhos, cada fracasso como uma chance de recomeçar. Nas vitórias, os sábios são amantes da alegria; na derrota, são amigos da interiorização".

Interiorização é a palavra chave para um envolvimento de respeito consigo mesmo. Como Claudia Lisboa, renomada astróloga, diz: "[…] somente a interiorização pode, de fato, solucionar aquilo que em nós precisa de paz e de entendimento".

Jota Albuquerque

Jota é mais um jovem adulto vagando pela vida sem a menor ideia do que está fazendo (ou acontecendo). Tradutor Intérprete em formação, também pensa em se meter com Ciências Políticas e/ou Cinema. Um ser necessitado de paciência e autopreservação, ele é também um paulistano romântico viciado em pesquisas. Se tiver dúvidas de onde encontra-lo, é só seguir as trilhas de discussões políticas que há por aí.

Solidão: estamos sozinhos, mas não precisamos ficar Solidão: estamos sozinhos, mas não precisamos ficar Reviewed by Jota Albuquerque on maio 02, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.