Beyoncé e a pressão sobre mulheres



No último dia 19, a Netflix lançou o documentário "Homecoming", sobre o show da Beyoncé no Coachella de 2018. Todos os olhos se voltaram pra ela nesse show porque foi o primeiro show que ela fez depois que teve os filhos gêmeos, Rumi e Sir.

Além de ser seu retorno aos palcos, era a primeira vez em que uma mulher negra seria headliner (show principal do dia) no festival, que teve início em 1999. A título de curiosidade: o primeiro homem negro headliner foi Prince, 10 anos antes, em 2008.

Esse show era pra ter acontecido em 2017, mas ela engravidou e o Coachella adiou o show pro ano seguinte. Tudo foi pensado por Beyoncé, que se inspirou nas bandas e líderes de torcida de faculdades negras norte-americanas.

Quanto ao show: impecável, lindo, tudo extremamente bem ensaiado, e quando você vê no documentário o processo de pensamento e a inspiração daquele show, fica tudo mais incrível ainda. Mas não tô aqui pra rasgar seda pra Beyoncé (que merece toda a seda do mundo rasgada por ela, vamos deixar isso bem claro). Eu quero falar sobre algo que notei no documentário.

Beyoncé estava se sentindo insegura porque ainda precisava perder peso pro show, pra entrar nos trajes e tudo o mais. Ela fez uma dieta que cortava MUITA coisa, estava criando um show incrível, ensaiando direto com os dançarinos, deixando de ficar com os filhos bebês que ela queria estar junto... e mesmo assim ela estava com medo de ficar tudo ruim.

Tenham em mente que existe o recorte racial e uma pressão diferente por ela ser uma mulher negra. Existe todo um estereótipo que mulheres negras são mais fortes, não precisa de ajuda (causando inclusive absurdos como mulheres negras receberem menos anestesia em hospitais); Beyoncé ter se aberto, mostrar que ela fazer toda a coreografia demanda trabalho, treino, ela não é uma super heróina e é sensível e pode se cansar também.

Mas utilizando o recorte de gênero: pense em quantas amigas mulheres você já não viu tirar leite de pedra basicamente e a amiga em questão quase pedir desculpa por existir? Quanta amiga linda e maravilhosa se acha um lixo porque está com uma sombrancelha mais peluda, porque apareceu uma estria em algum luga, porque está com quilos a mais ou a menos, e ela acha que é um lixo porque não está em conformidade com o padrão estético imposto a nós?

E não é como se eu nunca tivesse percebido esse tipo de coisa (a minha vida é basicamente se sentir uma fraude menor que os outros o tempo todo), mas cara, ATÉ A BEYONCÉ SOFRE COM ISSO. A Beyoncé. Uma das maiores artistas da história da música... Ela sofre com esse tipo de coisa.

Ser mulher é difícil. Ninguém tá livre de se sentir pressionada. Apoiem suas amigas, batam palmas, elogiem, apoiem seus trabalhos. Porque por mais que a gente esteja no topo, ainda tem alguém pra falar mal e reclamar do que a gente faz.

Caroline Cardozo

Caroline faz licenciatura em Física. Tem seu gosto musical formado pela Rádio Cidade e Disk MTV. Gosta de Crepúsculo e Jane Austen. Meio perdida sobre tudo mas nada surpreendente vindo de uma milleniall.

Beyoncé e a pressão sobre mulheres Beyoncé e a pressão sobre mulheres Reviewed by Caroline Cardozo on abril 22, 2019 Rating: 5

Um comentário:

Tecnologia do Blogger.